Mangás de Tezuka: Gekigá e Biografias em mangá

Ludwig B.

Tezuka sempre foi bastante versátil e sempre publicou obras para os mais diversos públicos, embora seu foco principal tenha sido o público infanto juvenil, ele criou verdadeiras obras de artes para  públicos mais maduros. Além disso sua curiosidade e profunda admiração por várias figuras da nossa história o fez escrever diversas obras biográficas em mangá. Hoje falarei dos mangás adultos, dos mangás de cunho mais realistcos (Gekigás) e também das biografias em mangá escritas por Osamu Tezuka.

Tezuka começou a publicar histórias para adultos ainda no início de sua carreira, em tirinhas para jornais que falavam, de forma descontraída,  da sociedade japonesa, além de algumas tirinhas de ficção. Durante muito tempo Tezuka publicou obras de destaque apenas para o público infanto-juvenil, e apesar de ter publicado alguns outros mangás que tinham um conteúdo considerado de interesse de um público mais maduro, dentre estes o mangá de ficção Lost World, seu talento como autor de mangás para adultos foi reconhecido apenas em julho de 1954 com a publicação de Hi no Tori (Phoenix), Hi no Tori  foi uma de suas obras mais elogiadas, e uma das que mais deu trabalho de se fazer. Apesar do título, a Phoneix não chega a ser a personagem principal de nenhuma das sagas desta obra, ela funciona como uma ligação entre os diversos universos de Hi no Tori, com Hi no Tori é possível se ver a capacidade de contar histórias dramáticas do mestre Tezuka, seja de histórias no presente, no passado ou no futuro. Hi no Tori foi um marco na história dos gekigás.

Em 1956 Tezuka começou a publicar a coletânea Lion Books (que posteriormente seria animada), uma publicação para todas as idades, com um conteúdo mais maduro, mas contado de uma forma que tanto crianças como adultos se interessariam, o que agradou bastante o público. Mesmo com  apublicação de Lion books fazia tempo que Tezuka não tinha uma publiação mais adulta como  Hi no Tori, mesmo as novas sagas desta sendo publicadas, ainda era pouco para a criatividade do Deus dos mangás.  Em 1959 surge o detetive semanal (Shukan Tantei Tohjo) publicado para um público mais adolescente e para adultos de pouca idade. Em 1960 lança sua primeira auto biografia em mangá, O diário de Mangá do Osamu Tezuka. Em 1962 lança Nigen Bokujo (fazenda de Humanos). Em 1963 lança Shizengumi, falando sobre o famoso grupo de samurais da era do Shogunato.

Tezuka continuou publicando mangás para um público mais adulto em paralelo aos mangás para o público infanto juvenil, mas nada que se comparasse a Hi no Tori, até que depois da decepção que teve com sua produtora, Mushi production, publicou em 1973 aquela que finalmente seria sua obra em Gekigá que confrotaria Hi no Tori, talvez o melhor Gekigá de Tezuka, Black Jack. Apesar de está passando por uma crise financeira, Tezuka não se abalava e mostrou com Black Jack que sua habilidade como mangaka não dimnuira em nada. As histórias dos casos do médico eram intrigantes, diferentes e chamativas. Em 1975, Black Jack recebeu o 4º prêmio de excelência da Associação de desenhistas de mangá do Japão.

Além de suas famosas obras infanto juvenis  e de seus mangás para adultos, Tezuka mostrou que o mangá era capaz de  mostar muito mais que simples histórias de ficção, ao longo de sua carreira, foram muitos os manuais e livros educativos em formato mangá, mas o sua terceiro grande face como autor de mangá se deve a forma como contava sobre a vida e obra de grandes personagens da história mundial.

Uma das obras sobre história mais consagradas de Tezuka foi Adolf, uma história ficção, que contava com Adolf  Hitler como um dos Adolf ‘s citados no título, um conto policial que prende a atenção do leitor do início ao fim. No campo das biografias suas obras mais famosas são  Ludwig B. , que conta a história de Ludwig van Bethowen, um dos maiores nomes da música mundial, e Buddha que fala sobre a história e sobre os ensinamentos de um dos mais incríveis homens que já existiu.

A semana Tezuka está na reta final, faltando apenas a publicação do texto sobre a Mushi Production no Anime Porrtfolio. Gostaria de agradecer a todos que prestigiaram o YOpinando e o Anime Portfolio durante esta semana. Essa foi a primeira homengem prestada nestes blogs a uma pessoa em espacífico e só podia começar com um dos maiores nomes da história dos mangás, dos animes, e da literatura mundial. Um homem que viveu ao máximo a sua vida e que inspirou e inpira milhares, talvez milhões de pessoas em todo o mundo. Novamente, Obrigado Osamu Tezuka!

No fim de semana terá o especial da área de vídeos, Fim de Semana Tezuka, com diversos vídeos sobre animações e sobre a vida de Tezuka postados na área de vídeos. Gostaria também de indicar o site: http://tezukainenglish.com/ ,  uma das grandes fontes ocidentais de material sobre Tezuka.