Os três – Take 2: Festival – parte 1

Essa aventura ocorre durante um festival e é protagonizada pelo grupo de heróis conhecidos como “Os três”, que também já foi conhecido como “Os três diretores“, mas o nome era muito ruim e por isso virou só “Os três”. Este grupo é integrado por: Bay, que detém super força, super resistência e outras super capacidades físicas, Sofia, que pode controlar a temperatura de qualquer objeto ou ser vivo a menos de 100 metros de distância dela, e Akira, que pode controlar a mente de qualquer indivíduo a menos de 100 metros de distância dele, mas apenas um por vez. Quanto a mim, sou apenas um narrador sem cor, talvez algum dia eu tenha alguma cor só minha, mas por hora, é melhor eu só narrar o que for preciso ser narrado…

– Dá pra se apressar aí!
– Ops! Desculpa!

Uma nave composta de alienígenas Nep (os chamamos assim, porque eles falam muito “Nep”), os inimigos dos heróis, desceu em um festival e como sempre os heróis foram imediatamente (tá demora um minuto pra acontecer) teletransportados para o local, afim de impedir essas terríveis criaturas de raptarem mais adolescentes inocentes e outras pessoas, mas não cachorros, nem gatos.

– No quarto, vendo um dos 007 com o Pierce Brosnan.
– Me preparando para dormir. E você Sofia, onde estava dessa vez quando foi teletransportada?
-…Deixem pra lá!
– Banheiro (Quando Bay e Akira falam juntos, a fala fica na cor amarela, meio insuportável né?)
– Calem a boca! Vamos logo derrotar esses Nep!

(Algum tempo depois)

– Eles trouxeram um robô bem grande desta vez, mas nada que deva preocupar.
– Ele me parece bem forte.
– Forte?! Forte sou eu, essa lata velha é só mais brinquedinho que eu vou esmagar!
– Quando você fala assim parece até um adolescente. Ainda é difícil aceitar que você é um advogado com quase 30 anos.
– As vezes essa é a única hora que eu tenho pra me divertir, então acho que isso me faz agir um pouco como adolescente.
– Um pouco…
– Sei..
– Ah! Vão encher o saco de outro! Estou indo esmagar a latona, vocês acabam com os soldadinhos.
.
.
.
– De quem é a culpa por estarmos nessa situação?
– Do Akira, que resolveu desmaiar o chefe deles bem na frente do robô.
– E você não ia esmagar a latona?

Eu explico a situação. Após os três terem derrotado a maioria dos “Nep”, os alienígenas decidiram usar sua arma mais forte (pelo menos a mais forte que foi vista até agora), um robô tripulado de 5 metros de altura, na verdade ela está mais para uma armadura ou exoesqueleto de metal, no entanto o robô é mais legal não acham? Continuando, o Bay partiu para cima dele achando que podia o derrotar sozinho, mas a força do robô é equivalente a dele, porém o robô tem a vantagem de ter armas, mesmo assim o Bay quase conseguiu derrubá-lo, pois parecia que o piloto do robô era meio inexperiente, mas quando ele viu o seu chefe ser desmaiado com o poder do Akira, parece que se transformou no melhor piloto de robô do mundo, arremessou o Bay contra alguns escombros e depois foi pra cima do Akira, que quase foi esmagado e só conseguiu escapar com ajuda da Sofia. Agora um Nep irritado, no controle de um robô, está destruindo tudo que acha pra encontrar “Os três” e matá-los. Felizmente todos as pessoas inocentes já evacuaram, pelo menos as que estavam no festival e que ainda não tinham sido levadas pelos Nep.

– O que vamos fazer?
– Já tentou aumentar a temperatura do robô para derretê-lo ou ao menos afetar o Nep que o controla?
– Já tentei, mas ele consegue controlar a temperatura do robô tão rápido quanto eu.
– Que tal controlar a mente do Nep?
– Já tentei, mas parece que a carcaça do robô ou a cabine bloqueia meu poder.
– Também não consigo quebrá-lo.
– Eu posso tentar controlar algum dos outros Nep e fazê-lo abrir a cabine. Aí vocês atacam o Nep dentro do robô, mas eu vou ter que me aproximar da nave deles para controlar mais algum Nep, então vocês vão ter que distrair a latona enquanto faço isso.
– Porque você não controla um dos que está desmaiado?
– Sofia você às vezes é bem inocente…
– Por que isso?
– Na verdade, desmaiar é um eufemismo para fritar o cérebro.
– Então você também anda matando os Nep esse tempo todo.
– Sim, afinal é o único jeito de pará-los, mas vocês também fazem isso, não é?
– É que eu às vezes ficava com peso na consciência por matá-los e você não…
– Eu também ficava assim antes de descobrir a verdade.
– E quando foi isso?
– Na nossa terceira luta.
– Eu acabei tropeçando em um dos Nep que o Akira “desmaiou”, aí percebi que ele estava bem pior do que eu pensava.
– E por que você nunca me contou?
– O Akira nunca falou sobre isso e você nunca perguntou, então pensei que já soubesse e para não fazer o papel de idiota, eu preferi não falar.
– Vocês vão ou não distrair o robô?